26 de nov de 2013

Resenha dupla - James Patterson


BRUXOS E BRUXAS
. Autor: James Peatterson & Gabrielle Charbonnett
. Editora: Novo Conceito
. Páginas: 288
O s irmãos Whit e Wisty Allgood foram arrancados e casa no meio da noite, acusados de bruxaria e jogados em uma prisão. e como eles, milhares de outros jovens também foram acusados e presos. O destino desses jovens é desconhecido, mas assim é o mundo regido pela Nova Ordem, um governo opressor que acredita que todos os menores de 18 anos são naturalmente suspeitos de conspiração.
Em Bruxos e Bruxas conhecemos Whitford  (Whit) e Wisteria (Wisty) dois irmãos aparentemente normais, que em uma noite foram arrancados de casa e acusados de bruxaria. Eles eram bruxos? sim, mas se quer tinham se dado conta disso. E aí começa todo o dilema em torno desse livro, o governo saber que eles eram bruxos antes mesmo que eles manifestassem algum tipo de dom ou poder latente. Mas entendi que por eles terem uma vida relativamente tranquila, nunca passaram por emoções tão fortes a ponto de manifestarem seus poderes, já que estes estão ligados a emoção.
Eles têm medo da mudança, e nós precisamos mudar.
Eles tem medo dos jovens, e nós somos os jovens.
Eles tês medo da música, e a música é a nossa vida.
Eles tem medo de livros, e do conhecimento, e de ideias.
Acima de tudo eles tem medo da nossa magia.
Bruxos e Bruxas é história de fantasia distópica, que nos deixa no mínimo curiosos, pois foi feito um grande marketing em torno de seu lançamento.

Adorei a  narrativa, em 1ª pessoa é alternada entre Wisty e Whit, capítulo a capitulo. falando nos capítulos, são bem curtos, alguns com apenas uma só pagina de distância. Os jovens irmãos, tem 15 e 17 anos, com jeito e personalidades próprios da idade, a ponto de fazerem piadas em meio a uma situação tão critica como foi o sequestro deles. as tiradas irônicas deles me fizeram rir bastante.

Achei a história boa em geral, principalmente quando eles começaram a acreditar e a manifestar tais poderes. Wisty, entra em combustão algumas vezes, se ilumina e mesmo flutua durante o sono.  Whit, já tem um poder bem diferente, ele consegue se comunicar com pessoas mortas, os chamados “Meia-Luzes” Só achei que ficou um pouco vago sofre esse governo opressor, como ele foi instaurada a Nova Ordem, e como o se deu a ascensão do O Único Que É O Único.

Achei esse livro muito aquém dos outros livros do James Patterson, mas deve ser pelo estilo diferente, mas Bruxos e Burxas não correspondeu as minhas expectativas, não é um livro ruim, mas eu esperava muito mais. A história começou já me dando aflição, mas depois se tornou morna, mas não me fez ter vontade de abandonar a leitura. Até porque eu esperava pelo livro seguinte. O DOM


O DOM
. Série: Bruxos e Bruxas #2
. Autor: James Peatterson & Ned Rust
. Editora: Novo Conceito
. Páginas: 285
Os irmãos Allgood nunca desistem de lutar contra os poderes autoritários e desumanos d’O Único Que É O Único, mas, agora, eles estão sem Margô — a jovem e atrevida revolucionária; sem Célia — o grande amor de Whit; e sem seus pais — que provavelmente estão mortos... Então, em uma tentativa de esquecer suas tristes lembranças e, ao mesmo tempo, continuar seu trabalho revolucionário, os irmãos vão parar em um concerto de rock organizado pela Resistência onde os caminhos de Wisty e de um jovem roqueiro vão se cruzar. Afinal, Wisty poderá encontrar algo que lhe ofereça alguma alegria em meio a tanta aflição, quem sabe o seu verdadeiro amor... Mas, quando se trata destes irmãos, nada costuma ser muito simples e tudo pode sofrer uma reviravolta grave, do tipo que pode comprometer suas vidas. Enquanto passam por perdas e ganhos, O Único Que É O Único continua fazendo uso de todos os seus poderes, inclusive do poder do gelo e da neve, para conquistar o dom de Wisty... Ou para, finalmente, matá-la.
Em O DOM a saga dos irmãos Allgood continua.  Depois de escapar de prisão pelo regime da Nova ordem, irmãos Wisty e Whit se estabelecem como líderes da Resistência, uma comunidade escondida de adolescentes, como eles próprios, caçado pelo Estado e determinado a desafiar a proibição nas artes, magia, e todas as outras formas de criatividade. Wisty e Whit continuam fugindo do Único Que É o único, que está cada vez mais perto. conhecemos um pouco mais do mundo dominado pela Nova Ordem e o que os levou a sequestrarem os irmãos Allgood. 

Wisty tem O Dom, poder muito cobiçado pelo Único, por isso a perseguição se torna ainda mais acirrada pois ele não poupara esforços  pata tê-lo.With Triste pela perda de Célia, se tornou chato e  insuportável.
Gostei de todas as partes que Byron o traidor cara de fuinha foi citado me julguem

Nesse segundo livro narrativa continua em 1ª pessoa, alternada entre os dois irmãos. Tem pessoas que não gostam, mas meu adorei ver a história pelo ponto de vista de cada um dos personagens principais. Há muita tensão, muitos acontecimentos que se reviravoltam o tempo todo.  Magia, ação, perigo, e paixão adolescente, são os elementos principais desse livro. E decididamente esse livro superou e muito o primeiro Bruxos e Bruxas.

Mas nesse segundo livro, a falta de respostas continua, não sei se isso é um estratagema dos autores pra prender o leitor fazendo assim com que adquiram os outros livros, mas em alguns momentos isso se torna meio chato. A leitura foi rápida, sem contratempos e para  mim , esse foi o livro de Wisteria. O final nos deixa o gancho para o próximo, então, que venha.

 A HISTÓRIA CONTINUA...

Falando da parte física dos livros, a edição é linda. A capa é show, em preto fosco emborrachada, com as letras B e D em e alto relevo e com um efeito de fogo. com uma ótima diagramação, papel das páginas, espaçamento e tamanho da fonte, a Editora Novo Conceito está de parabéns.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Todos os direitos reservados ©2010 - 2012
Powered Blogger