22 de abr de 2014

Resenha Literária - Vinte garotos no verão – Sarah Ockler


. Titulo: Vinte garotos no verão
. Autor: Raymond E. Feist
. Editora: Novo Conceito
. Páginas 288
. Skoob
Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que você aprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá). As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.
Em Vinte garotos no verão conhecemos história de Matt, Anna e Frankie. Os três eram vizinhos e inseparáveis e desde crianças faziam planos para o futuro. Matt e Frankie são irmãos e Anna a melhor amiga deles, o que não impediu que ela nutrisse uma paixão secreta por Matt.  Em idade tenra sonhos são normais, e sonhos compartilhados com os amigos são mais normais ainda. Mas uma fatalidade tira  Matt de suas vidas fazendo com que ambos fiquem sem chão, e a partir daí cada um rege a perda de maneira diferente. Anna se refugi nas páginas de seu diário, como se escrever fosse aliviar o seu sofrimento. Ali ela se expressa e desabafa. Frankie muda completamente seu jeito de ser, se transformando em uma menina fútil, como se isso fosse esconder a sua dor.

Digo a vocês que esse livro é de uma realidade extrema. Sua sinopse não expressa seu conteúdo de maneira nenhuma. É um leitura densa e carregada das mais variadas emoções. Impossível não sentir a dor da perda, a revolta de Frankie, e o sofrimento contido de Anna. Sem contar a doçura de Matt. As questões abordadas nesse livro são  bastante complexas porque as vezes os jovens sofrem e os adultos não tem a menor noção de como ajuda-los a lidar com o sofrimento e a dor da perda.

A viagem que a familia de Frankie faz no verão, pode se dizer que é o divisor de águas nessa história. Anna vai junto com eles, e o lugar é especial para ambas, pois a praia para onde eles vão é onde Matt morava. Achei que essa viagem pós um ano de sua morte foi algo providencial, como um lenitivo para curar as feridas ainda abertas no coração das meninas. Matt estava em todo lugar, tudo fazia lembra-lo. Então Frankie faz uma proposta para Anna: um verão para vinte garotos, elas deveriam conhecer vinte garotos em vinte dias que se seguiam as férias. Esse projeto marca a vida das meninas, sobretudo de Anna que abre seu coração e se permite viver experiencias próprias da sua idade, aprende que apesar da perda tem que se seguir em frente. Curar as feridas viver novos amores e reafirmar antigas amizades.

Vinte Garotos no Verão é um livro com uma narrativa bem rica em seus detalhes, detalhes esses que foram indispensáveis e só acrescentaram realidade a história. Retratou de maneira forte o drama e o sofrimento vivido pelas personagens centrais. Retratou a superação de duas meninas que aprenderam o quanto a vida pode ser dura e até injusta, mas que é preciso seguir em frente. Lágrimas e tristezas são inevitáveis, mas que depois de tudo superado fica a saudade e as boas lembranças. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Todos os direitos reservados ©2010 - 2012
Powered Blogger